Mostrar Aviso
Compartilhe:

Tipos de Regimes Tributários existentes no Brasil

Saber os tipos de Regimes Tributários existentes no Brasil é essencial para o empreendedor que deseja começar um novo negócio. Afinal, esses regimes vão trazer o parâmetro para inúmeras questões, como pagamento de impostos, por exemplo. Para ser possível economizar e conseguir enquadrar a empresa da melhor maneira possível, o Regime Tributário deve estar na lista de decisões principais para que isso aconteça.

No texto de hoje, vamos apresentar um pouco mais dos Regimes Tributários que estão em vigor no Brasil e trazer suas principais características – como para que tipo de empresa eles são mais indicados. Veja abaixo!

O que são os Regimes Tributários existentes no Brasil?

Os Regimes Tributários, como o nome mesmo indica, têm a função de determinar qual será a maneira pela qual sua empresa irá pagar seus tributos, ou seja, seus impostos. Isso significa que o Regime Tributário escolhido irá determinar se sua empresa paga o imposto de forma única, em uma guia, ou mesmo se ela paga em cima dos lucros que possui, por exemplo.

De forma geral, a escolha do regime tributário impacta diretamente no quanto de imposto sua empresa vai pagar. Em muitos casos de Regime Tributário errado, a empresa paga muito mais do que deveria e acaba tendo prejuízo por causa disso.

Então, é essencial procurar um contador que possa te auxiliar nesse sentido e evite que algo do tipo aconteça.

Conheça os Regimes Tributários que temos no Brasil

Agora que você já sabe qual a importância da escolha de um Regime Tributário que se adeque à sua empresa, separamos abaixo os que temos aqui no Brasil como opção para sua empresa. Veja abaixo!

1- Lucro Real

O Lucro Real é um tipo de Regime Tributário pouco utilizado por empresas menores. Ele tem como principal característica o cálculo do imposto de maneira mais detalhista, baseada no lucro real de uma empresa, como o próprio nome diz. De forma mais técnica, podemos dizer que a empresa paga os impostos sobre a diferença positiva entre a receita da venda e os gastos.

Por esse motivo, o Lucro Real é pouco utilizado por empresas pequenas, já que a economia que as empresas maiores têm acaba sendo muito mais expressiva, já que a diferença positiva é menor.

Em todo caso, apenas o contador saberá informar se esse é um regime que vale ou não a pena para a empresa, mesmo que ela seja de grande porte. Isso porque pode haver casos em que um negócio de grande porte não possua uma diferença pequena, logo, o pagamento de impostos aumenta drasticamente.

2- Lucro Presumido

O Lucro Presumido é um tipo de Regime Tributário que costuma ser bastante escolhido por empresas pequenas ou mesmo de médio porte. Para quem migrou de MEI para ME, por exemplo, esse é um regime que faz bastante sentido, desde que haja uma soma maior que 32% no lucro sobre o total do faturamento bruto.

Esse cálculo, tão essencial, vai definir se a empresa terá vantagens financeiras ao escolher o lucro presumido. Em alguns casos, o imposto a ser pago pode diminuir bastante, chegando a quase 20% a menos do que o que já está sendo pago atualmente.

Chamamos esse tipo de análise de análise tributária e ela é extremamente necessária para quem tem uma empresa, mesmo que de pequeno porte. Isso vale também para os profissionais liberais que se enquadraram como ME, por exemplo. Apesar de trabalharem sozinhos, eles também pagam impostos como empresas e podem economizar nesse recolhimento. Fale com o seu contador para que ele possa te ajudar ou nos procure para uma consulta!

3- Simples Nacional

Por fim, vamos falar do Regime Tributário mais escolhido pelos empresários, o Simples Nacional. Esse Regime é o mesmo do MEI, porém, se difere em outros enquadramentos empresariais. O simples nacional, como o nome indica, é um tipo de regime tributário bem simples e que permite o pagamento em uma única guia – e essa é sua maior vantagem em relação aos outros.

Na maioria dos casos, o simples nacional é o mais indicado para empresas pequenas, mas isso deve ser analisado considerando o lucro total em relação ao faturamento bruto para evitar que o empreendedor pague mais impostos do que realmente precisaria.

Como escolher o Regime Tributário ideal?

De maneira geral, a melhor forma de escolher o seu regime tributário é através da consulta com um contador de confiança. Ele saberá analisar o faturamento da sua empresa – ou estimar um faturamento – e fará o enquadramento de acordo com o que for mais vantajoso financeiramente e também na parte prática.

A dica é reunir os documentos necessários e procurar uma contabilidade que seja especializada no seu tipo de negócio. Por exemplo: se caso você seja um profissional liberal em busca de formalização, procure uma contabilidade que tenha esse tipo de cliente como prioridade.

Gostou das dicas de hoje? Compartilhe nas redes sociais com seus amigos e familiares. Até a próxima!

Fale com o consultor, é grátis :)